terça-feira, 18 de agosto de 2015

Pavlova de Framboesas e Mirtilos




É uma das sobremesas preferidas do meu marido. Por isso, não hesitei em oferecer-lhe esta Pavlova no dia do aniversário do nosso casamento. Uma prenda bem doce, não acham?

Parece ser uma sobremesa de difícil confecção (pelo menos era essa a ideia que eu tinha antes de fazer uma pavlova pela primeira vez), mas acreditem que não é. Apenas é necessário alguma paciência e saber esperar... E é sempre uma boa desculpa para fazer reaproveitamento de claras. 

Esta é apenas uma sugestão de apresentação, pois poderão utilizar outro tipo de fruta, decorar com frutos secos, com chocolate... as hipóteses são imensas. Usem a vossa imaginação.

Surpreendam os vossos amigos e familiares com uma sobremesa delicada, fresca e deliciosa. 









Ingredientes:

6 claras 
220 g de açúcar fino
1 c. de sobremesa de vinagre balsâmico
1 c. de sopa mal cheia de amido de milho
200 ml de natas para bater
125 g de framboesas
125 g de mirtilos
folhas frescas de hortelã


Preparação:

Aquecer o forno a 170 ºC.
Bater as claras e quando começarem a formar picos suaves, adicionar uma colher de sopa de açúcar de cada vez, batendo sem parar .
Bater até as claras ficarem brilhantes, firmes e sem grânulos de açúcar.
Juntar o amido peneirado, continuando a bater  até incorporar.
De seguida, acrescentar o vinagre e bater mais um pouco.
Forrar um tabuleiro de ir ao forno com papel vegetal.
Dispor o merengue sobre o papel vegetal dando-lhe uma forma circular.
Abater a parte superior ligeiramante para facilitar a colocação das natas e fruta.
Colocar no forno e baixar a temperatura para os 120 ºC, deixando cozinhar por 2h.
Deixar que arrefeça completamente no forno (deixei de um dia para o outro).
Bater as natas em chantilly, adoçando ligeiramente com açúcar em pó.
Preparar a cobertura da pavlova perto da altura de servir (2 horas antes, para que tenha tempo para refrescar).
Cobrir o merengue com as natas, a fruta e as folhas de hortelã..
Servir fresco.




13 comentários:

  1. Esta receita vou experimentar... tem um aspecto divinal

    ResponderEliminar
  2. It is one of my fave dessert too. But I find it a bit difficult to make it ;)

    http://beautyfollower.blogspot.gr/

    ResponderEliminar
  3. Está perfeita, cores lindas.

    Bj
    http://nacozinhacomafilipa.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Perfeita e uma verdadeira tentação minha querida Silvia

    beijinho guloso!

    ResponderEliminar
  5. que bom aspecto!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Uma das mais belas pavlovas que já vi na blogosfera! Arrasou!
    Beijos mil e boa semana pra ti! =)
    www.deliciasdavodeo.com.br

    ResponderEliminar
  7. Também gosto muito de pavlova e essa está mesmo muito bonita e apetitosa! :)

    ResponderEliminar
  8. Ai tão alta que maravilha... tu sabes o quanto eu adoro estas maravilhas! Qual chocolate qual quê, eu vivia de pavlovas.. ai se vivia! Optima partilha Silvia, beijo.

    ResponderEliminar
  9. Olá Sílvia!

    Acho que o meu forno não vai muito À bola com as pavlovas!
    Mas assaltou-me uma dúvida, será que fará grande diferença ligar a circulação de ar durante a cozedura?
    Nunca consigo que a parte de baixo fique bem seca para poder descolar a pavlova do papel vegetal e então quase nunca fica com aquele espeto sequinho sem começar a ficar castanha!
    Little help? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá.
      O meu forno é eléctrico e tem-se portado bem. Parece-me que a ventilação permite uma melhir distribuição do calor pelo forno, mas a temperatura tem tendencia a ser mais elevada. Experimente não ligar a ventilação (a minha mãe tem um forno com essa função e não a usa quando faz as pavlovas). Eu costumo fazer a pavlova à noite e deixo-a ficar no forno até de manhã. Tem resultado sempre... mas os fornos não são todos iguais... depois diga-me como correu.
      Beijinho

      Eliminar

Deixe aqui os seus comentários e/ou perguntas.
Obrigada pela visita!